Lifestyle

Como escolher uma companhia para viajar

Hoje eu completo quatro anos de casado.
Não é muito tempo, você pode estar pensando.
De fato, quando esses quatro anos virarem cinquenta, eu quero muito pensar o mesmo.

Mas hoje, agora, dizem os quatro anos serem pouco só aqueles não casados com a Flora. Só os menos sortudos do que eu, e por assim dizer, todas as outras pessoas no mundo.

Eu conheci a Flora poucos anos antes de nosso casamento. Uma ou outra pessoa gosta de dar a si o mérito desse encontro, mas, me desculpe. Com licença. A distribuição dos méritos é de outra ordem. É do caminho que cada indivíduo a si constrói. Da visão de mundo a qual se apega. Dos valores que acumula e que semeia. O mérito é o de ter o peito aberto à bala e o olhar atento.

E os quatro anos, que são pouco, são muito. Por que ela é a pessoa certa e o ponteiro não dobra um segundo sem que uma fagulha acenda, uma poeira abaixe, uma peça encaixe e um sonho cresça. Ou ainda, que ele aconteça.

E os dias, de intensos, mesmo ruins são bons.

Por que ela é a pessoa certa. É curiosa, é divertida. É atrevida e não se satisfaz com qualquer coisa. Mas não reclama e faz proveito. E encara o desafio de melhorar tudo. Inclusive a si mesma.

E nas grandes viagens da vida e na grande viagem que é a vida, é fundamental andar ao lado da pessoa certa.

Então, no embalo dessa pouca boda, a minha dica: caminhe ao lado da pessoa certa. Especialmente nas grandes viagens, pois elas nunca terminam.

VIAJAR SOZINHO

Eu pude experimentar todo tipo de viagem. Viajei sozinho e foi grande o desafio de fazer de mim a pessoa certa. Foi muito bom. Foi como, ao mesmo tempo, viajar pra dentro. Nem sempre é um caminho confortável. Especialmente o da volta.

Eu em Los Angeles
Em Santa Mônica – Los Angeles, numa viagem solo de 45 dias

VIAJAR EM GRANDES GRUPOS OU EM FAMÍLIA

Eu já viajei em família, num grupo grande e foi especial. Mas só foi bom por que eu amo todos e toda a doação que viajar em grupo exige – e exige muita- era gostosa de fazer. Era recompensador o sorriso e o brilho no olhar de todos. Então, aquela sua vontade contrariada e opinião vencida, incomodam muito pouco.

Se for viajar em grupo, que seja com as pessoas que você ama.

Nossa família em Roma
Parte de minha família, pelo Fórum Romano

VIAJAR COM AMIGOS

Eu já viajei com amigos. Fiz meu primeiro mochilão para a Europa com um grande amigo, o Bié. Amigo desde a infância. E as lembranças daqueles dias dão muita saudade. Foi mais que especial. Não tenho nenhuma outra experiência de viagem como aquela. Foi mesmo único, por que essa é uma amizade única. Dessa que não se precisa adjetivar e cujo acordo é silencioso. Um tratado pra vida. Sinto que não tenho mais idade pra etiqueta de “melhor amigo”, mas se ainda eu tiver… Bié, precisamos fazer de novo!

Eu e Bié em Zurich
Eu e o Bié, numa passagem breve por Zurique

Depois, de tão bom, eu viajei novamente com o Bié e com outro grande amigo em comum, o Diego. Fomos aos Estados Unidos, passar frio em Nova York, além de uma roadtrip na Califórnia e ter azar em Las Vegas. Caramba, que demais! O Diego é grande companhia. Equilibrado, inteligente. Amigão do dia a dia, há muitos anos e pra todos os anos por vir, com certeza. Um cara sensacional.

Se for viajar com amigos, que seja com os melhores amigos que você merece ter.

Eu e Diego, em São Francisco
Eu e Diego em São Francisco, num clique do Bié

VIAJAR EM CASAL

Viajei com a Flora muitas vezes, e se os dias ao lado dela são felizes, as viagens são uma ode à vida. Cada dia uma odisseia.

Se você tiver, não a mesma sorte – pois como já falei vou sempre estar um passo à sua frente – mas uma sorte parecida com a minha e encontrar alguém através de quem a sua melhor versão acontecer, então seja um casal.

Se você encontrar por ai a sua Flora, reze ao céu que você forme com essa pessoa um casal.

E daí, que felicidade a sua, que maravilha, que coisa boa: mantenha a mala feita.

E viaje.

Parabéns aqui pra gente, em nosso dia : )

Que esses pequenos conselhos de um homem sortudo lhe inspirem a encontrar a companhia perfeita para viajar.

Obrigado por ler essas palavras até o fim.

Até o próximo post!

Leandro.

6 Comments

  1. Bié

    15 de agosto de 2019 at 20:50

    Le, sua etiqueta virou uma tatuagem! Sinto muito orgulho de nossa amizade! Se eu tivesse escrito este lindo texto, talvez não te enquadrasse na categoria “Viagem com amigos”, mas sim na “Viagem em Família”!
    Vamos repetir, sim! Com um pouco mais de conforto? Só preciso providenciar uma senhora pra chamar de minha!

    1. Aondes

      16 de agosto de 2019 at 09:29

      Biée! É muita muita honra! Mesmo! Tenho muito orgulho também e você tem razão: família! 🙂
      Esse nosso mochilão foi a melhor coisa que poderíamos ter decidido fazer. Não me canso de lembrar dele!
      Acho que DEVEMOS planejar um próximo e com certeza com mais conforto kkkk
      E a gente vai em dupla de novo, ou embalamos com o Diego também de novo!! Seria um sonho!

  2. Renata

    15 de agosto de 2019 at 23:09

    Gente!! Vale chorar??
    Que texto lindo! Imaginei vocês sorrindo e curtindo a companhia um do outro, nesse amor lindo de vocês!
    Amo vocês, queridos amigos! E que venha muitos anos intensos e de experiências maravilhosa para a vida!

    1. Aondes

      16 de agosto de 2019 at 09:31

      Oii Rê! Pode chorar sim kkk
      Obrigado 🙂
      Também amamos você, já tá cansada de saber! É bom demais tê-la nessa história e que nada mude pra sempre!
      Beijão no Rodrigo!!

  3. Taís

    15 de agosto de 2019 at 23:25

    Ahhhh, que post mais maravilhoso!!!
    Parabens Leandro e Flora por esse dia. Como disse no instagram, que venham mais mil anos! <3
    Eu sou uma pessoa que gosta muito de viajar sozinha, sempre foram as viagens que mais marcaram, é um grande desafio mesmo esse de se fazer a melhor pessoa e quando eu me dei conta disso, era simplesmente muito dificil conseguir viajar com alguém e ter as mesmas sensações… até que.. eu também encontrei a ''a minha Flora''.. e eu simplesmente amo demais viajar com meu parceiro <3 e aí tenho essa mesma sensação, as mala tá sempre feita!

    1. Aondes

      16 de agosto de 2019 at 09:36

      Oi Taís!! Sabe que aqui pra Flora eu te chamo por Nýr Dagur rs lindo demais!
      Feliz que gostou do texto. Muito obrigado! Viajar sozinho é mesmo especial e concordo contigo, difícil estar seguro em compartilhar isso com outras pessoas. Mas se achamos as certas, é um espetáculo.
      Suas viagens me inspiram muito! Vai ser muito bom te encontrar por ai em alguns meses. Já estamos contando os dias!
      Obrigado de novoo!!

Leave a Reply