Reflexões

O que aprendi com a quarentena (até agora)

Já são tantas coisas que mudaram em mim desde que tudo isso começou, que me pergunto quem eu serei quando acabar…resolvi listar algumas aqui pra gente conversar… você se identifica com alguma delas? Quais transformações já aconteceram em você? Queria muito saber… 🙂

Eu sou uma pessoa que sente muito, que vai fundo nos sentimentos e situações e sempre fui muito questionadora em relação a existência, ao nosso papel nessa vida… em uma situação como essa, já era previsto que eu ia entrar nesse estado de contato profundo com minhas questões e emoções.

Espero que estas reflexões também te façam pensar sobre a vida, ou que converse com seu coração e de alguma maneira te ajude a passar por esse momento.

Não sofrer tanto por antecipação / Não querer ter controle de tudo

Antes de a pandemia acontecer, estávamos vivendo muitos dilemas pessoais e tendo que tomar várias decisões difíceis. Perdi até as contas de quantas noites sem dormir e do tanto que eu sofri nos últimos meses por coisas que ainda não tinham acontecido.

Eu ficava imaginando cenários, tentando prever o que seria em cada passo que eu pudesse tomar. Por fim, tudo isso aconteceu e os planos se dissolveram! Do dia pra noite, tudo mudou. E muito rapidamente.

Aprendi que, por mais que tenhamos sim que planejar e lutar pelos nossos sonhos, quando começamos a passar do ponto e começamos a querer controlar excessivamente, ao nível de não dormir, de só pensar nisso, de sofrer, de não conseguir exercer direito suas atividades diárias, tem algo bastante errado. Eu já sabia disso na teoria, mas viver na prática me deu um entendimento muito mais profundo e acredito que depois dessa experiência, quando eu me perceber querendo controlar muito o futuro, vou poder me lembrar que, a qualquer momento, tudo pode mudar. Então, não adianta acharmos que temos controle absoluto da vida. É preciso deixar a vida vir e nos apresentar o que ela tem pra nós…

Entrar em contato com a finitude da vida

Esse talvez seja o sentimento mais estranho com que tenho lidado ultimamente. É obvio que a vida é finita, mas eu não entrava em contato com isso tão profundamente como agora. É até difícil explicar como tem sido essa experiência interna.

As vezes ela é doída, revoltante e assustadora. As vezes ela é acompanhada de uma certa paz e conforto de que é só mais uma das fases da vida.

Eu não sou uma pessoa religiosa. Não tenho nenhuma crença cravada em meu peito. Essa questão pra mim sempre foi algo em aberto. Não sei se um dia eu a fecharei com alguma certeza absoluta. Não consigo ter certeza absoluta sobre algo tão misterioso, não palpável… sempre senti que é uma questão da qual não temos capacidade para entender. Não descarto nenhuma crença, mas também não me entrego absolutamente em nenhuma. Sigo então, lidando com esse desconhecido que tem rondado meus pensamentos… mas com certeza, quanto mais entro em ‘’contato’’ com a morte, mais a vida se revela preciosa e uma vontade de fazer valer a pena toma conta da minha alma.

Abominar com mais força ainda a desigualdade social

Eu tenho em mim um sentimento muito forte de igualdade. É algo que sempre esteve no meu coração. Se eu posso, porquê o outro não pode? Como eu posso ter algo e outra pessoa não? (e vice-versa). Por que não temos todos as mesmas oportunidades, as mesmas chances de escolha, os mesmos pontos de partida?

Acho a maneira como estamos divididos na sociedade tão injusta. Quando entro em contato com isso, é incontrolável meu sentimento de revolta e tristeza. Com a pandemia, essa questão em nosso país (e também no mundo) ficou tão nua, tão exposta, que agora entendo ainda mais o porquê eu sempre senti isso… pois de fato, ISSO NÃO É JUSTO!

Eu não sei o que eu posso fazer em relação a isso… e também sei que uma pessoa só não é capaz de mudar o mundo… a única coisa que eu sei é que não posso continuar essa minha jornada aqui sem fazer nada a respeito.

Viver a vida intensamente e não ter medo de ser quem eu sou

Acho que muitas pessoas se identificam com esse sentimento de querer aprovação do outro/ ter medo do que o outro vai pensar e com isso, abrir mão de quem se é ou do que se quer fazer.

Muitas coisas que aconteceram na minha vida que já eram difíceis por si só, foram mais difíceis ainda pois eu não me permiti ser eu mesma. Não acreditava em mim, não achava que era capaz. Eu esperava muito a aprovação do outro.

A minha criança interior estava muito machucada. Não que isso tenha mudado instantaneamente com a chegada da pandemia, mas o sentimento de “essa vida é minha, eu tenho que viver ela do jeito que eu acredito ser o melhor pra mim” tem sido muito intenso e tenho certeza de que eu não conseguirei mais ficar adiando minhas vontades, abrindo mão de ser quem eu sou… esse sentimento vem muito forte e de mãos dadas com o da percepção da finitude da vida.

Se não vivermos intensamente nossas verdades e não sermos agora o que queremos ser, então quando? A vida é tão breve… precisamos parar de se importar com o que o outro vai pensar, confiar na nossa capacidade e no nosso potencial, entender nosso eu mais profundo e seguirmos nosso caminho.

Estar próxima de quem entende meu coração

Também é uma continuação das questões anteriores… apesar de não podermos nos apegar ao que outras pessoas pensam, o homem não é uma ilha e precisamos das relações humanas. Por isso, estar próximo de quem te entende, de quem acredita em você, de quem tem empatia pela tua jornada e entende teu coração é muito importante.

As vezes perdemos tanto tempo da nossa vida com quem só nos deixa pra baixo, nos traz problemas, só nos cobra e nos suga. Hoje mais do que nunca percebo como é precioso termos pessoas do bem do nosso lado, que vão nos ajudar de verdade e que podemos ajudá-las de volta.

Uma coisa muito boa que tem acontecido é que, através do Aondes, tenho conhecido tantas pessoas especiais e, aos poucos, vamos criando laços de amizades muito bonitos e isso conforta meu coração nesse tempo onde parece que a gente só vê ódio, desigualdade, injustiças e desalentos. Por isso, agradeço muito quem está aqui lendo esse post, conversando comigo, compartilhando seus sentimentos para que possamos caminhar juntos de certa maneira, acrescentando um na vida do outro.

Respeitar a minha história / Não me comparar com os outros

Isso é algo que eu já vinha trabalhando em mim e com a quarentena e consequentemente, o aumento de consumo de redes sociais, comecei a entender na prática o quanto eu não posso mais me comparar com as outras pessoas e me sentir mal pela minha vida/ minha história.

Vocês perceberam como as pessoas estão agindo de maneira absolutamente diferente durante esse período? Tem pessoas que estão muito produtivas, motivadas, aproveitando esse tempo para fazer tudo que podem para aprender, produzir, ensinar, criar, evoluir, transcender, rs. Já outras pessoas estão sofrendo muito, a desigualdade social no nosso país é tão grande que tem pessoas que simplesmente não tem nem o que comer.

Tem pessoas que estão mal, desanimadas, deprimidas. Enfim… dependendo do histórico de cada um, de sua condição de vida, de sua condição emocional, cada um está agindo do jeito que consegue e, ao ficarmos nos comparando, tentando agir ”melhor”, nos cobrando do que deveríamos estar fazendo, nos colocamos numa posição muito cruel conosco.

Se tem pessoas que estão fazendo meditação + exercícios todos os dias, que já leram 9 livros, que estão aprendendo um novo hobbie, que migraram o seu trabalho para o online ganhando o dobro em 2 dias, que criaram projetos incríveis e você só consegue acordar, colocar a roupa pra lavar, fazer uma comida mais ou menos, e trabalhar 2 horas…… tá tudo bem.

Nesse momento a gente tem que se respeitar. Temos que entender o que conseguimos fazer e respeitar isso. Estamos passando por algo muito sério e turbulento, precisamos ser nossos melhores amigos, pegar a gente pela mão, fazer um carinho e nos acolher. Tentar nos motivar quando vermos que o dia amanheceu melhor… dar um tempo quando percebermos que naquele dia está complicado demais.

Se formos nosso inimigo, nos cobrando e nos exigindo mais do que somos capazes de dar/ fazer nesse momento, a única coisa que vamos conseguir é ficarmos doentes emocionalmente ou até fisicamente.

Ter mais confiança

Uns dias atrás, assistindo a um vídeo do Fred Mattos ele disse algo que me impactou muito e era mais ou menos assim: ”Precisamos ter confiança. E confiança é você saber que, aconteça o que acontecer, você estará lá para enfrentar”.

A gente já passou por tantas situações difíceis, tristes, complicadas, desafiadoras… e de um jeito ou de outro, sempre encontramos meios de sair delas, de resolve-las… por mais que pareça impossível nesse momento, as coisas sempre se resolvem, ou porque alguém nos socorre, ou porque a gente encontra uma solução, ou porque a gente aceita e toma outros rumos… então, seja o que for, temos que confiar que iremos dar um jeito de resolver, pois estaremos lá para fazer isso.

Essas são algumas das coisas que tem tomado conta do meu coração nos últimos tempos… espero que de alguma maneira tenha feito diferença no seu dia.

Fiquem bem, fiquem seguros.

4 Comments

  1. Andressa De Beija

    8 de maio de 2020 at 16:13

    Muita bacana sua reflexão!

    1. Aondes

      10 de maio de 2020 at 19:02

      Ahhh, feliz que gostou Andressa ♥♥♥

  2. K.

    13 de maio de 2020 at 03:31

    me vi em absolutamente todos os tópicos que citou, haha. mas o primeiro acho que é um dos que mais me doem. também vinha de um período de insônia e cobranças absurdas por causa de trabalho, do dia pra noite vi todos meus planos se desfazendo. ou seja, todo esse sofrimento dos últimos tempos, todo o esforço que eu estava fazendo para controlar todos meus passos e meus resultados, não serviram de nada. a vida mudou de um dia pro outro, agora as preocupações são outras, muito maiores, muito mais reais e palpáveis do que aquelas que eu pensava ter. enfim, a vida é doida e a gente tá sempre aprendendo as coisas, né? mesmo que seja na marra, haha.

    1. Aondes

      15 de maio de 2020 at 18:02

      Aiii miga ♥
      É exatamente isso que falou… descreveu melhor do que eu hahaha sempre tem o lado bom né… pelo menos esse tipo de experiência vai modificando certas percepções que temos da realidade… mas ainda assim, não precisávamos viver um momento tão duro assim né? 🙁
      Espero que tudo isso passe logo…
      Fique bem, fique segura meu amor ♥♥♥ vai passar!

Leave a Reply