Emigrando - A nossa jornada

Diário da Mudança de País EP1: Remexendo as gavetas e a alma

A mudança de país é um processo que envolve muitos temas. Um deles é sobre as coisas materiais da casa: o que levar, o que guardar, o que vender, o que doar? E mesmo as coisas materiais também envolvem muitos processos emocionais e é sobre isso que eu queria falar no post de hoje. Bem-vindos ao primeiro episódio do meu Diário da Mudança de País!

Os nossos primeiros passos na preparação para mudança de país

Começamos a organização da nossa casa para entender melhor o que vamos fazer com cada item daqui. E por mais que esse tema possa parecer de primeiro momento sobre algo prático, ele envolve muito do nosso emocional. Afinal, cada peça da nossa casa representa um momento da nossa vida, tem uma história, um afeto. Como aquele abridor de vinhos que seu pai te fez ou aquele fichário com pesquisas da época da faculdade. Você começa a remexer nas gavetas tentando arrumar as coisas materiais e percebe que ali se inicia um processo de remexer em toda a sua história. E muitas vezes isso não é fácil!

Diário da Mudança de País

Decidi então começar um “Diário da Mudança de País”, tanto aqui, quanto no canal, para registrar toda essa experiência e compartilhar o que for aprendendo pelo caminho.

Como muitos de vocês já sabem, estamos preparando a nossa mudança para a Itália (ver post) e confesso que passei muitos dias completamente perdida em relação a como começar a organizar nossas coisas. Só de pensar em tudo que precisaria fazer já me dava um desespero muito grande e não tinha ideia de por onde começar.

Remexendo as gavetas e a alma

Além da questão prática, muitas questões emocionais começaram a tomar conta. Vários gatilhos foram sendo ativados, me fazendo ter medos irracionais, sentimentos de desmoronamento e de falta de segurança. Me senti tornando um ponto perdido no universo. Eu sei, meio complexo e forte né? Mas talvez tenha alguém aqui que consiga me entender. Quando passamos por certos traumas na vida, encaramos muitas situações que podem ser aparentemente simples para algumas pessoas, de maneiras muito particulares. Tenho a sorte e o privilégio de estar passando por tudo isso acompanhada da minha psicanalista (e do Le, que é meu maior apoio) então os sentimentos, aos poucos, vão ficando cada vez mais claros na minha mente para assim, terem novos significados no coração.

Mudança de País: Remexer as gavetas e a alma

Uma dificuldade desse tipo de mudança e que pode gerar muita ansiedade é que você não consegue saber exatamente onde será sua próxima casa. Até pode ter maneiras de você alugar uma casa ainda estando no Brasil, mas nós achamos arriscado e optamos por fazer isso estando no futuro país. Deste modo, você sai da sua conhecida casa para o desconhecido total, sem muita certeza do “pelo o que você está trocando”.

É claro que já pesamos isso na balança mil vezes e sabemos muito bem o que estamos indo buscar e a casa em si acaba pesando menos nessa balança, comparando com as outras milhares de coisas que iremos ganhar com essa mudança de país. E é preciso se lembrar constantemente desses motivos para não se deixar levar pelos medos ou até mesmo pelos comentários que vão surgindo vez ou outra sobre a sua escolha.

Os medos de mudar de país

Mãos à obra!

Dia desses me deu uma coragem súbita e pensei “vou tirar foto de tudo e ir mapeando a casa inteira para entender tudo o que temos e o que fazer com cada item”. Pois bem. Comecei pelo quarto e home office, mapeando tim-tim por tim-tim cada item, cada decoração, cada papel, cada tudo… e foi aí que comecei a entrar em contato com a minha história e com o tamanho do meu viver. Parece que tem alguém aqui narrando a minha trajetória em cada peça que eu pego, em cada foto que eu encontro, cada livro, cada lembrança guardada ou até escondida. Aliás, não tem mais como esconder nada, tudo precisa ser remexido.

Tudo que eu quis esquecer e dei um jeito de colocar numa caixa no fundo do armário precisa ser aberto. Só eu sei o tanto de sentimento que tem rolado por aqui nos últimos dias e o tanto de conversas madrugadas afora que eu e o Le temos tido. A coisa é densa mas me sinto cada vez mais aceitando o oceano de águas profundas que eu sou, navegando, acolhendo, conhecendo, entendendo, curando.

As memórias remexidas

E pra dar algo de prático pra vocês neste post, foi assim que eu comecei: mapeando tudo e dando o destino para cada item: levar, guardar, doar, vender, jogar fora.

Tudo o que é de jogar fora eu já estou fazendo ”a limpa” e tem sido um alívio esse movimento! Como ao longo do tempo a gente guarda coisas desnecessárias, não é?

As doações eu também comecei a fazer aos poucos, principalmente os itens de inverno para aproveitar as campanhas sociais. É um sentimento maravilhoso doar a quem precisa e a ajuda volta instantaneamente para nós através do sentimento de alegria que vem pro nosso coração. Recomendo!

As vendas eu vou começar por algo que já devia ter feito há muito tempo (aquela coisa de esconder o que dói, sabe?) e tentar vender algumas peças que restaram da minha antiga marca de peças artesanais chamada Helebora. Vou experimentar vender pelo Instagram e ver como as coisas andam. Se der certo, posso tentar vender outros itens da casa por lá também 🙂

Já os móveis e eletrônicos vamos experimentar outras plataformas de vendas como a OLX e até mesmo buscar pessoas da nossa cidade, o que tornaria tudo mais fácil por conta de transporte.

Os itens que iremos levar vou contar em posts futuros, onde compartilharei as experiências e dicas.

Espero que tenham gostado desse post e primeiro episódio de meu Diário de Mudança de País e que seja de alguma ajuda acompanhar toda a nossa jornada de emigração!

Até o próximo,

Flora.

4 Comments

  1. Lary

    25 de julho de 2021 at 23:14

    um “viva” aos blogs por nos permitir guardar partes importantes da nossa vida por aqui <3 um dia você vai voltar, reler tudo o que escreveu e sorrir por ver que toda e qualquer agonia que existiu em teu coração passou. todas as vezes te digo o mesmo, mas é sobre isso aqui: respirem na certeza de que as coisas boas já estão acontecendo. luz, Flora! (:

    1. Aondes

      15 de setembro de 2021 at 10:53

      ahhh, você sempre trazendo conforto pro meu coração ♡
      eu me imagino mesmo lendo as minha palavras e agonias e pensando “uau, como tudo passou…” (e claro que terão outras, é a vida né? haha).
      um viiiva aos blogs, aos nossos processos, a tudo que nos permite sentir mais e mais ♡
      beijos querida.

  2. Camila Faria

    6 de setembro de 2021 at 16:20

    Toda mudança é um processo que mexe ~ e muito ~ com a gente, né? Mas UAU, uma mudança com esse fator de incerteza ainda é mais complicado, imagino. Deve concordar com você: como guardamos coisas desnecessárias ao longo dos anos! Acho que essa “limpa” que você está fazendo é uma coisa muito boa, traz espaço para uma renovação importante. Espero que esteja correndo tudo bem por aí. Um abraço e boa sorte com a mudança!

    1. Aondes

      15 de setembro de 2021 at 10:54

      É verdade! Guardamos muitas coisas e é tão bom ir aos poucos ajeitando tudo, dá uma sensação leve mesmo!
      Muito obrigada pela presença aqui querida ♡

Leave a Reply